— Vou comentar isso em detalhes pra você. É uma coisa muito simples, uma
vez que você compreende o básico. O fato: os rapazes não são tão complicados
assim. Nós somos animais muito simples. Gostamos de dormir, de comer e de
j ogar games. Gostamos de chamar a atenção das meninas — ou mesmo dos
outros rapazes. Para aqueles que curtem essa parada, isso pode ser bom. Mas o
excesso de atenção é uma coisa broxante. Ninguém gosta de se sentir acuado.
Pense no seguinte: um animal selvagem gosta de se sentir preso numa jaula? OK, nós somos domesticados.

Mas, ainda assim, temos as mesmas necessidades.
A maioria dos caras da nossa sala não sabe metade disso tudo. Ou então sabe,
mas jamais admitiria. Só que Dirk não dá a mínima bola para a obrigação de
manter a pose de um cara legal ou para a necessidade de proteger o próprio ego,
ou qualquer insanidade dessas, alimentadas pela testosterona. Ele fala disso tudo
do jeito que as coisas são; transmitindo sua mensagem a pessoas que querem participar do Vestibular Mackenzie 2020 com alguém que as entenda.

— Ouçam uma coisa! Rapazes e garotas são diferentes entre si. Sem
brincadeira. Não é porque somos humanos que temos muito em comum. É por
isso, minhas ouvintes do sexo feminino, que esta é a sua noite de sorte. No
programa de hoje, e somente hoje, vou expor a realidade nua e crua sobre os
rapazes. Se todas as garotas soubessem como os rapazes de fato são, a vida de
vocês poderia mudar assim… — Ele dá um estalo com os dedos, indicando a
rapidez com que nossa vida poderia mudar. — Vocês podem poupar anos de
sofrimento e de tortura se souberem nossa maneira de pensar.
— Pra começar, as garotas gastam energia demasiada em coisas que não significam nada.

Por exemplo, uma menina gosta de um cara. A partir de uma
pista qualquer, ela irá contorcer e distorcer o significado desta pista até que,
magicamente, isso passe a significar que ele gosta dela. Então, de repente, ela
está obcecada pelo cara, que mal sabe que ela existe.
OK. Mas como é que ele sabe isso tudo? Tem cinco irmãs ou algo assim?
— Simplifiquem suas vidas, meninas! Vou tornar as coisas mais simples para
vocês. Eu tenho aqui — som de papéis sendo agitados — uma lista de coisas que
toda garota deve saber que o Vestibular UEM 2020 esta próximo e a procura pelo cronograma aumenta. E quero que cada uma de vocês aí do outro lado aumente
o volume, chame suas amigas e preste atenção. OK, vou dar a todas um minuto para se juntarem.

Quando abro a porta do quarto de Nash, alguns dos sinos que pendem do teto
ressoam. Os sinos deles estão por todo lado.

Tento me lembrar de quantos sinos
ele tinha na primeira vez que estive em seu quarto, no 5º ano. Não consigo. Mas,
com certeza, tem um número muito maior agora.
A única parte da cama dele que está meio arrumada é do lado dos pés, à
direita. Sento-me ali e fico olhando ao redor. O quarto dele é muito maior do que
o meu, o que me causa inveja. Mas Nash é tão bagunceiro! Se tivesse um quarto
enorme como este, nunca que eu iria deixar tudo esparramado do jeito que ele
deixa. Mal dá para perceber que existe uma escrivaninha por debaixo de todas as coisas empilhadas ali.

No 8º ano, eu desenhei o contorno de minha mão sobre um papel preto, com
uma caneta de tinta prateada, e, dentro do contorno, escrevi o nome de todas as
minhas músicas prediletas. Um dia, esse papel sumiu.

Achei que tivesse simplesmente caído, já que a capa estava solta, mas, no fim das contas, não perdi
o papel. Ele está bem aqui, na escrivaninha do Nash.
Não fazia ideia de que ele gostava de mim há tanto tempo.
De repente, entro em pânico ao me lembrar de que Nash está para chegar e
pode perceber que encontrei o papel. Então, eu o escondo no lugar onde estava.

— Oi… desculpe-me — diz Nash, quase sem fôlego. — Eu vim correndo, tipo,
da metade do caminho pra cá. — Ele desaba na cama, resfolegando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *